5 nov · Paula · No Comments

Roma ou Paris

Não é fácil escolher entre a cidade-luz e a cidade eterna. Para dizer o mínimo, muito do que consideramos “belo” ou “modelo” na política, na moda, na arquitetura, nas artes em geral tem origem nessas duas metrópoles. Talvez por isso elas exerçam tanto fascínio e, mesmo antes de colocarmos os pés lá, já digam tanto sobre nós mesmos. A comparação que você vai ler a seguir, longe de pretender eleger a melhor (afinal, seria em vão), mostra facetas marcantes das duas cidades. E, se é para optar, torcemos que seja apenas por qual visitar dessa vez.

As construções da Itália abrangem 3 mil anos de história e influências que vão dos etruscos e romanos aos bizantinos e árabes, sem esquecer o estilo clássico, revitalizado pelo Renascimento. Roma, centro simbólico do mundo antigo, reúne arcadas, aquedutos e templos que, mesmo em ruínas, são inesquecíveis legados de beleza. Cinco monumentos são paradas obrigatórias: o Fórum Romano, conjunto de templos e cortes de justiça construído no século 2 a.C., que conserva as ruínas da sede da vida política e religiosa do Império; o Coliseu, arena erguida em 72 d.C. onde ocorriam os duelos dos gladiadores; o Panteão, o templo mais preservado da cidade, construído no século 1º d.C.; a Fontana de Trevi, a maior e mais famosa fonte romana, eternizada no filme La dolce vita (1960), de Fellini; e a Basílica de São Pedro, no Vaticano, com seu majestoso domo concebido por Michelangelo.

Na capital francesa, os principais cartões-postais foram construídos entre a Idade Média e princípios do século 20, marcando o horizonte
da cidade junto aos seus jardins numerosos e geometricamente calculados. Na lista de imperdíveis estão aTorre Eiffel, projetada como estrutura provisória para celebrar o centenário da Revolução Francesa e que acabou se tornando o maior cartão-postal de Paris; oArco do Triunfo, concebido por Napoleão para a entrada de suas tropas na Avenida Champs-Elysées; e a Notre Dame, inaugurada em 1340 à margem do rio Sena, com seus imensos vitrais circulares e suas gárgulas, imortalizadas por Victor Hugo no romance O corcunda de Notre Dame. Aliás, as margens do Rio Sena e arredores entre as pontes de Sully e d’Iéna são patrimônio mundial pela Unesco, com vista para os monumentos mais significativos da cidade, como o museu do Louvre, a Torre Eiffel, a Praça da Concórdia, o Grand Palais e o Petit Palais, além da própria Notre Dame.

Museus

Uma coisa é certa: viajar pelas duas capitais rende uma agenda abarrotada para os amantes das artes. Muitos acervos são tão extensos que necessitariam dias (ou semanas) para ser vistos por completo. Mas mesmo quem tem pressa e pouca paciência para percorrer salas e mais salas vai querer ver ao menos as obras mais simbólicas dos principais museus. Em Paris, no Louvre, maior e mais visitado museu do mundo, estão a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia e a Vênus de Milo. Visitas guiadas podem reduzir significativamente a angústia de não dar conta do museu, cujas instalações abarcam tanto o ultra clássico palácio do Louvre como a contemporânea (e polêmica) Pirâmide de Vidro, incorporada em 1989. Já o Museu D’Orsay, instalado em uma antiga estação de trem, é a residência fixa das obras de impressionistas como Monet e Van Gogh.

O principal museu de Roma, a rigor, não fica em Roma, e sim no Vaticano, mas isso é um detalhe. O Museu do Vaticano reúne um valioso acervo de peças gregas e romanas, relíquias egípcias e etruscas, além dos trabalhos de alguns dos maiores artistas italianos: Leonardo da Vinci, Rafael e Michelangelo – incluindo os afrescos da Capela Sistina. No centro de Roma, por sua vez, o Palazzo Doria Pamphilj conserva áreas construídas no século 15, além de uma capela e um teatro. A coleção da família Pamphilj abarca 400 quadros pintados entre os séculos 15 e 18, de artistas que vão do espanhol Velázquez ao italiano Caravaggio.

Compras

Ambas as cidades são importantes centros de moda e design. Paris é a capital não só da alta costura, mas também dos cosméticos e perfumes. Marcas prestigiadas têm suas vitrines na Avenida Champs-Elysées – as lojas mais luxuosas se concentram no chamado “triângulo de ouro”, formado com as avenidas Montaigne e Georges V, endereço de grifes como Louis Vitton, Dior e Hèrmes. Já a capital italiana tem as butiques maravilhosas nas ruas que irradiam da Piazza di Spagna, como a Via Borgognona, com lojas de fachadas barrocas e neoclássicas.

Gastronomia

As duas capitais levam a comida muito a sério. Paris reúne os sabores de toda a França – baguetes, croissants, cassoulets, crepes, queijos, delicados doces. De bistrôs e brasseries de cozinha tradicional a casas dedicadas à alta gastronomia clássica ou contemporânea, há restaurantes por toda a cidade, alguns dos mais sofisticados no 1º arrondissement (a região do Louvre). Em Roma, não se pode deixar de provar clássicos como o gnocchi alla romana (preparado com leite e gratinado), pizzas – tradicionalmente servidas al taglio, isto é, em pedaços – e passear pela cidade tomando um sorvete, ou gelato. Ao redor do Panteão, centro financeiro e político da cidade, concentram-se alguns dos melhores restaurantes romanos, além de várias cafeterias e sorveterias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

MARIOTTINI VIAGENS


Do coração de Florença para o mundo… explore, sonhe,descubra as maravilhas da Toscana e de toda Itália.

MARIOTTINI VIAGENS

Phone: +39 347-3423874
+55 1132802270
Mail: contato@mariottiniviagens.com

CNPJ 17.580.290/0001-92


Confira os certificados da Mariottini Viagens!

PARTNERS

© Copyright 2013 Mariottini Viagens - All Rights Reserved